Algumas considerações sobre a depressão

Curta e compartilhe:

A depressão é uma doença difícil de lidar e a família muitas vezes depois de varias tentativas em estímulo, sente-se impotente e frustrada. E, é comum surgir a raiva que abre brecha pra preconceitos e crenças relacionados a doença. Como se a pessoa não quisesse melhorar e não estivesse colaborando para a melhora.

É importante que a família saiba que uma das características da doença é a incapacidade de reação. A depressão o torna impotente, ele não consegue lutar contra uma pressão que o puxa pra baixo.

A depressão clinica é uma doença orgânica, séria que precisa ser tratada com medicamentos e psicoterapia. Pois quanto menos se trata mais forte ficam os sintomas podendo levar em casos mais graves ao suicídio.

É comum, frente às expectativas não realizadas, as frustrações e as dificuldades de lidar com as questões que são inerentes a vida, que as pessoas sintam-se tristes, desmotivadas e impotentes.

A vida moderna tem muitas demandas e exigências, que geram insegurança e desânimo levando consequentemente à tristeza.

Vivemos em uma sociedade em que a violência é fato corriqueiro e nos deparamos com cenas que nos entristecem, porém nem todos os sintomas comuns na depressão, como a apatia, a tristeza, a e falta de prazer podem ser considerado uma doença relacionada ao transtorno do humor como no caso da depressão. 

Na maioria das vezes é somente o desconforto da frustração e a pessoa pensa que esta deprimida. Pois há uma banalização do termo “depressão”. Frente a qualquer tristeza a pessoa nomeia como depressão.

O ser humano tem a tendência de buscar o prazer e evitar a dor. Normalmente as pessoas recorrem a medicamentos antidepressivos para se sentirem melhor e escapar do desconforto das frustrações. E, é inegável que a utilização de antidepressivos é útil e alivia os sintomas, colaborando para a melhora da qualidade de vida emocional. Porém, cada vez mais é sabido que os antidepressivos regulam a serotonina e restauram a capacidade de determinadas áreas do cérebro que não estão funcionando normalmente.

A pessoa precisa aprender a reorganizar suas funções cognitivas.  E isso só é possível através de psicoterapia, onde haverá uma reestruturação cognitiva que vai reformular e reorganizar a maneira da pessoa  pensar.

Tendo crenças e pensamentos disfuncionais, a pessoa distorce a realidade e frente a isso tem emoções e comportamentos também disfuncionais.

O objetivo da reestruturação cognitiva é de auxiliar o individuo a pensar e agir de forma realista e adaptativa. Uma vida emocional com qualidade vai depender da satisfação que o individuo tem com a vida. Se não houver alteração no ambiente e na forma da pessoa se articular com as situações da vida o medicamento não promoverá mudanças significativas.

Mary Scabora