Família mosaico: como unir os filhos de diferentes casamentos

Curta e compartilhe:

novasfamilias-GNT.mary.scaboraNovas famílias : como lidar com a formação de uma nova família?

Íntegra da entrevista concedida ao site GNT 

Mary Scabora – Lidar com a formação de uma nova família, nem sempre é uma tarefa fácil. Muitas vezes é difícil para os filhos aceitarem outra mãe ou outro pai e na maioria das vezes relutam. Não são raros casos em que os filhos sofrem a influência da mãe ou do pai biológico. Em suma, surgem entre os envolvidos muitos conflitos como o ciúme, rejeição e disputas por poder que muitas vezes são velados, mas que precisam ser analisados e trabalhados com cuidado. Situações como essas devem ser enfrentadas para que os filhos possam se sentir seguros na nova família.  O maior desafio é lidar com tais conflitos de forma que o denominador comum seja o sucesso da nova formação familiar e todos os integrantes devem cooperar para um ambiente familiar harmônico

GNT – O que um casal, que já tem filhos de casamentos anteriores, deve fazer (ou evitar) para que sua nova família conviva bem?

Mary Scabora – A base é sempre o bom e velho dialogo, de forma clara e honesta. Porém, não existe um manual para esse arranjo familiar, no entanto um lar acolhedor, cordial e respeitoso facilita a convivência de todos. É essencial compreender que:
– Os filhos dos dois lados têm costumes e cultura própria oriundos do antigo lar. É fundamental respeitar os antigos e gradativamente introduzir os novos.
– Conquistar a confiança aos poucos e mostrar que esta ali para somar e não para subtrair. Deixar claro que não esta usurpando o lugar do outro.
– Não tentar substituir os pais biológicos.
– Jamais fazer tecer critica ou comentários depreciativos sobre os pais.

GNT – Como os pais devem agir nesse momento?

Mary Scabora – Os pais devem se unir para proporcionar um ambiente tranqüilo, agradável e seguro aos filhos e enteados. Procurar entender e ouvir com cuidado as preocupações dos filhos que são genuínas. Na maioria das vezes sentem-se amedrontados e inseguros diante da nova situação. Saber fazer uso do humor para lidar com situações como os ciúmes e estar atentos as próprias inseguranças.

GNT – Como deve ser a apresentação das crianças?

Mary Scabora – De forma natural, sem impor ou forçar situações.

GNT – Os pais devem esperar um tempo para morar juntos?

Mary Scabora – O ideal é que o segundo casamento não seja apressado. Na maioria das vezes uma separação é muito traumática para os filhos e os tornam mais vulneráveis, mesmo quando em idade mais avançada.

GNT – A mulher deve se meter na educação dos filhos do parceiro?NF-familia-mosaico260_5009137686179232780

Mary Scabora – A educação dos filhos é de responsabilidade dos pais.  O papel na educação dos filhos do parceiro é secundário. O ideal é dar apoio sem interferir diretamente na relação. Porém, se for solicitada ou se julgar necessário sim, principalmente quando o filho mora com o novo casal. Afinal trata-se de um sistema familiar e ação de um integrante afeta todos os outros membros da família.

GNT – Cada um cuida dos seus filhos ou o casal deve cuidar de todos, sem distinção?

Mary Scabora – O casal deve criar regras para o convívio e bem estar de todos. Combinar normas de convivência é essencial logo no inicio da formação da nova família.

GNT – O tratamento deve ser o mesmo para todos?

Mary Scabora – Sim, o tratamento deve ser de igualdade. Tratamento diferenciado gera ciúmes, sentimentos de rejeição, insegurança e incita a competição agressiva entre irmãos e meio irmãos fomentando a disputa.