Como a psicoterapia pode te ajudar?

Curta e compartilhe:

“A psicoterapia pode te ajudar a se desligar do sofrimento desnecessário e a lidar com aquele que é inevitável.” Carl Gustav Jung

Comportamento e relações humanas são os temas de interesse da psicologia.

É uma área da saúde que contribui para o bem estar do outro, oferecendo ferramentas que possibilitam mudanças, desenvolvimento e transformações.

É a ciência que estuda o comportamento e as funções mentais se direcionando a compreender e ajudar a resolver problemas em diferentes esferas do comportamento humano.

O trabalho do psicólogo é compreender o papel das funções mentais no comportamento individual e social, a partir dos processos fisiológicos e biológicos que acompanham os comportamentos e funções cognitivas: percepção, memória, atenção, emoção, Inteligência, motivação, funcionamento do cérebro humano, personalidade, comportamento, relacionamentos interpessoais.

A psicoterapia pode ajudar em muitos casos, além de tratar psicopatologias como transtornos do humor e transtornos da personalidade,

também pode ajudar pode ajudar em casos de dificuldades no sono e de concentração; instabilidade de humor; irritabilidade; agressividade; estresse; sentimento de vazio; de inadequação; timidez; medos excessivos; pensamentos intrusivos ligados a catástrofes; insegurança; pânico; dificuldades para emagrecer; dificuldades de relacionamento; orientação profissional; e doenças psicossomáticas, que podem causar problemas digestivos, como a gastrite e dificuldades alimentares, alergias de pele e respiratórias, queda de cabelos, bruxismo, entre outros.

E também para enfrentar situações de perda que geram muita dor e sofrimento como separação, luto, doenças, mudanças repentinas na vida profissional, rompimentos afetivos. E consequentemente melhorar outros aspectos da vida e da saúde como um todo.

São consultas semanais de 50 minutos (dependendo da gravidade o número de sessões pode ser maior), com intervenções e técnicas psicológicas que podem te ajudar a tomar consciência da origem dos seus problemas e aprender a criar formas mais adaptativas de lidar com eles.

O tempo varia conforme o caso, a gravidade e o envolvimento do paciente com o tratamento. Na terapia breve, a intervenção é com foco no problema especifico e tem uma duração mais curta e os resultados são mais rápidos.

Na psicoterapia de longo prazo se faz um trabalho mais profundo de autoconhecimento, o que exige um tempo maior.
A frequência das sessões e a duração do processo terapêutico dependem das necessidades particulares e dos objetivos de cada pessoa. 

Dependem também do envolvimento e dedicação de cada um, pois trata-se de um processo individual, no qual o paciente deve ser o pivô das próprias transformações.

Mary Scabora